AESO - Faculdades Integradas Barros Melo






Estudante transforma ataques de pânico em quadrinhos para ajudar quem tem ansiedade



Personagem foi inspirado na própria experiência de Petrus Andrade, intensificada ao longo do trabalho de conclusão de curso.

"Ultimamente, estou sempre à espera. De quem ou do quê, eu realmente não faço a mínima ideia. E aquele momento do alívio, o momento da resposta, ele nunca chega. Mais um dia perdido". É com essa reflexão que começa a história em quadrinhos "Neurose", que fala sobre um jovem que descobre que tem síndrome do pânico após sofrer várias crises de ansiedade. (Veja vídeo acima)

A criação é de Petrus Andrade, estudante de design gráfico de uma faculdade em Olinda que, precisando apresentar um projeto para concluir o curso e perto do prazo final, teve a ideia de passar para os quadrinhos o segredo que ele guardava a sete chaves.

A história começa com um personagem tendo um ataque de pânico durante um show. Esse personagem, na verdade, era ele mesmo.

"Ano passado, comecei a ter essas crises de ansiedade e pensei em unir isso ao fato de eu ter que me formar. Meu objetivo era mostrar um pouco no meu dia a dia, para informar as pessoas que não conhecem essa doença", afirma.

Estudante de design fez quadrinhos sobre ansiedade no Recife — Foto: Reprodução/TV Globo Estudante de design fez quadrinhos sobre ansiedade no Recife — Foto: Reprodução/TV Globo
Estudante de design fez quadrinhos sobre ansiedade no Recife — Foto: Reprodução/TV Globo

O fato curioso é que Petrus não sabe desenhar. A solução que ele encontrou para fazer as ilustrações foi tirar fotos dele mesmo e inserir vários efeitos para deixar as imagens parecidas com as de um HQ. Para deixar a história descontraída, ele usou gírias pernambucanas nos diálogos.

O trabalho na frente do computador durou um mês e meio. Os games japoneses foram referência para a história, que mistura fantasia e realidade. Segundo Petrus, a ideia de usar os quadrinhos foi para trazer leveza ao falar de um assunto tão pesado como a ansiedade.

"Como é um tema difícil de lidar, eu pensei na HQ porque ela ia unir o universo meio geek, nerd, com essa coisa da patologia mental. Pensei em unir os dois para tentar tornar o tema mais digerível para a sociedade", diz.

A jornada de autoconhecimento rendeu mais que a nota necessária para a formatura. "Eu tinha escondido isso durante muito tempo, até da minha família, e resolvi mostrar para todo mundo no Instagram de um dia para o outro. Isso me ajudou bastante", afirma.

Quadrinhos têm gírias pernambucanas — Foto: Reprodução/TV Globo Quadrinhos têm gírias pernambucanas — Foto: Reprodução/TV Globo
Quadrinhos têm gírias pernambucanas — Foto: Reprodução/TV Globo

Ataques de pânico
Segundo o psicólogo Edson Rodrigues, os ataques de pânico podem ocorrer devido a diferentes fatores. Em todos os casos, é importante buscar apoio psicológico para lidar com esses picos de medo.

"Existe o caso de uma fobia específica, que é diferente do pânico. Nesse último, os sintomas vão aparecer de forma repentina. Não tem um momento certo. No caso da fobia, eles se apresentam diante de uma situação específica. Fica mais fácil de buscar esse apoio", diz o psicólogo.

Ainda segundo Edson, o tempo de tratamento é diferente para cada pessoa. "Vai depender de cada abordagem. Existe um mito com relação à abordagem cognitivo-comportamental, de que ela seria mais rápida, mas isso não procede", afirma.

voltar