Leitura, antes de pensar em concurso



Ler, ler e ler. A leitura está no topo da lista de atividades dos alunos do curso de direito. Sem contar que é preciso dominar o português e saber argumentar. Afinal isso também é exigido ao longo do curso. No início da graduação, as disciplinas mais teóricas e introdutórias ao estudo do direito são vistas, depois vêm as mais específicas da área, como direito processual civil e direito comercial. E, por último, há o estágio supervisionado. Sim, para se formar é preciso ter determinada quantidade de horas destinada à prática jurídica. Não é à toa que muitas instituições de ensino têm convênio com órgãos do Poder Judiciário. O perfil do aluno varia de instituição para instituição, mas, em geral, são jovens recém-saídos do ensino médio e que têm parentes na área jurídica. Segundo o coordenador do curso de direito da UFPE, Ivanildo Figueiredo, um dos diferenciais da graduação são os estudantes. "Chegam na universidade os melhores alunos do ensino médio do estado. São bastante estudiosos e com uma ótima formação", explica. A estudante do 6º período de direito da UFPE, Amanda Galindo, 20 anos, ratifica isso. "O estudante da Federal está sempre buscando algo mais. São alunos comprometidos e isso acaba servindo de estímulo para gente. Para se sentir nesse meio, é preciso estudar e pesquisar sempre", comenta a estudante, acrescentando que só deve fazer direito quem realmente gosta da área, caso contrário não terá nenhuma motivação. "Querendo ou não são cinco anos de curso. Se não tiver prazer, vai acabar abandonando o curso ou seguindo carreira noutra área". Apesar da graduação da UFPE ser bastante tradicional e contar com uma equipe de professores prestigiados ele enfrenta alguns problemas. Segundo Ivanildo, há um déficit de docentes, existindo muitos professores substitutos. "Esperamos que com o Reuni, isso mude", cita, lembrando que outro problema é a falta de infra-estrutura. "O palácio (prédio da Faculdade de Direito do Recife) está em obras há seis anos. Lá, só funciona o primeiro e o segundo período. Do terceiro ao 10º período, as aulas acontecem num local 'improvisado', o Demec - antiga delegacia do Mec". Outra universidade que tem o curso de direito e é bastante procurada é a Católica, oferecendo 660 vagas por ano para a graduação, nos turnos manhã e noite. Segundo o coordenador de direito da Católica, Marcelo Labanca, o curso da universidade traz alguns diferenciais em relação a outras instituições. "Temos a melhor biblioteca do Nordeste com um acervo bastante rico. Fora isso, nosso curso é numa universidade, então os alunos têm contato com outras áreas do conhecimento", diz. Ele completa que o curso prima por uma formação mais humana, de um profissional-cidadão. As Faculdades Integradas Barros Melo (Aeso) também têm o curso de direito. Na Aeso, são oferecidas 300 vagas e, de acordo com a coordenadora do curso, Daniele Spencer, muitos alunos escolhem esse curso pela afinidade com a área jurídica, mas também por conta da estabilidade financeira que muitas profissões do direito oferecem. "Os estudantes, junto comprofessores, até criaram grupos de estudos preparatórios para concursos públicos".

voltar