SESSÃO AESO EXIBE E DEBATE MEMÓRIAS DO CÁRCERE NO CINE SÃO LUIZ, COM PROJEÇÃO ANALÓGICA, EM 35MM



No campo da cultura, não se fala em outra coisa no Recife senão de Bacurau, filme de Juliano Dornelles e Kleber Mendonça Filho, premiado no Festival de Cannes 2019 com o Prêmio do Júri. Fala-se, em particular, das sessões do longa-metragem pernambucano no Cine São Luiz.

As Faculdades Integradas Barros Melo, por meio de sua Coordenação do Bacharelado em Cinema e Audiovisual, e numa parceria com o Cinema São Luiz/Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco (Fundarpe), dará a oportunidade do espectador do palácio na rua da Aurora entrar em contato com um outro filme brasileiro que marcou sua época, também por uma história de resistência política, tendo sido também contemplado no Festival de Cannes, no ano de 1984, pelo Prêmio da Crítica Internacional (Fipresci).

A 2ª edição da Sessão AESO vai exibir Memórias do cárcere(Bra., 1984), de Nelson Pereira dos Santos. A sessão acontece às 16h do sábado (14 de setembro),e será seguida de debate (no 1º andar do São Luiz) com o professor, jornalista e crítica de cinema Luiz Joaquim.

A ideia da Sessão Aeso é oferecer uma imersão aos alunos de Cinema e Audiovisual da AESO como apenas o Cine São Luiz proporciona.

“Nós da Aeso-Barros Melo estamos muito felizes com a possibilidade que a instituição está dando – junto ao Cinema São Luiz – de oferecer não apenas aos alunos do Bacharelado em Cinema e Audiovisual da casa, mas também a qualquer espectador pernambucano, a chance de entrar em contato com esta obra-prima do cinema brasileiro”, celebra Luiz Joaquim.

E continua: “Nelson Pereira dos Santos é um dos cinco mais importantes nomes de nossa história cinematográfica, e aqui ele joga foco sobre um momento político tenso na história do Brasil sob a perspectiva de um homem da cultura, que resiste à repressão de um governo que suspendia as garantias das liberdades individuais de todos os brasileiros. É um rico filme também para pensarmos o nosso tempo presente”.

Adaptado da homônima obra literária de Graciliano Ramos, a sinopse do filme conta que na década de 1930, o escritor Graciliano Ramos (Carlos Vereza) é preso acusado de ligações com o Partido Comunista. Capturado em Alagoas, onde era servidor público e levava uma pacata vida, ele dá entrada no presídio de Ilha Grande, no Rio de Janeiro, em 3 de março de 1936, sem sequer passar por um julgamento. Em meio a atritos de ordem política e pessoal, crueldade, insalubridade, fome e os mais diversos tipos de criminosos – de ladrões de galinha a guerrilheiros, ele simplesmente escreve.

SERVIÇO

Sessão AESO
Filme Memórias do Cárcere (Bra, 1984)
De Nelson Pereira dos Santos.
Com Carlos Vereza, Glória Pires, Nildo Parente, Tonico Pereira, José Dumont, Wilson Grey, Jofre Soares, Fábio Barreto, Paulo Porto, Monique Lafond, Silvio de Abreu, Nelson Dantas, Cássia Kiss, André di Biasi, Marcos Palmeira. sessão única
Às 16h – sábado – 14 de setembro
Ingresso: R$ 10 e R$ 5 (meia)
Cinema São Luiz (Rua da Aurora, 175. Recife

voltar