AESO - Faculdades Integradas Barros Melo

Aluno da AESO-Barros Melo leva cultura africana para o Brasil e exterior


Produção Fonográfica
outubro. 11, 2019

Daniel Albuquerque compartilha conhecimentos através do Ponto de Cultura Coco de Umbigada

Desde criança, Daniel Albuquerque, aluno do curso de Produção Fonográfica das Faculdades Integradas Barros Melo (FIBAM), tem contato com a música. Por ser morador da comunidade do Guadalupe, em Olinda, local que é protagonista na cultura do Frevo e do Coco de Roda, os ritmos, sons e instrumentos sempre o rodearam e possibilitaram o interesse pelo assunto.

O jovem ingressou como aluno, em 2004, no Ponto de Cultura Coco de Umbigada - atividade que promove a dança, cultura e oficinas na comunidade. Logo depois, se tornou monitor, voluntário, e, atualmente,  trabalha na Coordenação de Tecnologia do projeto. Foi a partir dos processos de formação em informática básica e em desenvolvimento de plataformas, cursos disponibilizados pela iniciativa, que Daniel teve a oportunidade de ter contato com softwares livres de gravação de áudio (Ardour), o que possibilitou sonhar alto e se ver apaixonado por ouvir as músicas sendo processadas.

Daniel já viajou, como convidado do projeto, para várias cidades do Brasil, onde ele trabalhou com projetos sociais, dando aula de áudio, oficinas de produção e realização de eventos. Em seu currículo, também constam ações na Europa, onde esteve na Alemanha, Áustria e Suíça. Entretanto, a iniciativa não é a única ocupação de Daniel. Apaixonado pela área, o estudante também é Músico e DJ da Banda Coco de Umbigada, Afoxé Babá Orixalá Funfun, além de ter experiência em Design, chegando a desenvolver o game Contos de Ifa (www.contosdeifa.com), jogo roteirizado com a mitologia afro-brasileira.

Daniel ressalta a importância de projetos como este. Segundo ele, o que mais gosta do trabalho é poder sentir a emoção que só o som pode transmitir. “Acredito que, em uma comunidade que não tem cultura, o papel principal é da violência. No momento que a iniciativa cultural chegou ao bairro, o mesmo se encontrava em uma fase delicada, com altos índices de tráfico e morte. A partir do programa, foi possível a inserção dos jovens na atividade, que ocupou o tempo em que eles ficavam ociosos, mostrando outras possibilidades de mercado através da cultura como chave para o protagonismo juvenil”, comenta

Quando perguntado quais sãos os planos para o futuro, Daniel é curto e enfático: “possibilitar a formação de outros jovens no cenário musical pernambucano”.

 

Sobre a iniciativa:

O Ponto de Cultura Coco de Umbigada tem por finalidade divulgar e manter viva a cultura popular de raiz africana. Localizado no bairro de Guadalupe, Olinda, a proposta é trabalhar a inclusão social de jovens em situação de vulnerabilidade social da comunidade, bairro que representa uma das maiores densidades demográficas e baixo IDH da cidade de olindense, e do entorno.

aeso - barros melo - produção fonográfica -

voltar