AESO - Faculdades Integradas Barros Melo

Animadora trabalha no Birdo Studio (Fotos: Marianne Daffne)

Camila Monart coleciona e compartilha animações pelo mundo


Cinema e Audiovisual
junho. 14, 2018

Ex-aluna da AESO-Barros Melo trabalhou em diversos filmes premiados

O mercado de animação está crescendo em Pernambuco, e no Brasil, e revelando nomes que se destacam pelo talento e contribuição no nicho audiovisual. Um deles é Camila Monart, formada em Cinema de Animação pela AESO-Barros Melo, em 2012, que acredita no papel educativo que os filmes do gênero podem ter, contribuindo para a formação de uma consciência crítica nas pessoas. “É importante que todos consigam expressar o que pensam e imaginam, e eu acho que animação é um caminho para isso. Você pode criar o universo que você quiser, não tem limite”, opina.

De fato, limite é uma palavra que Camila não conhece. Ela coleciona trabalhos ao redor do mundo e, atualmente, compartilha criatividade em um dos maiores estúdios da América Latina, o Birdo Studio, com sede em São Paulo. A profissional é assistente de direção e produção de um seriado para a Cartoon Network, cujos detalhes são mantidos em segredo, por enquanto.

Mas, antes disso, a animadora já se aventurou por outras áreas. A história de Camila com a AESO-Barros Melo, por exemplo, começou no campo do Design. Enquanto estudante, ela fez parte da equipe do Estúdio de Animação da faculdade. “Foi quando eu percebi que não gostava de ilustração, mas de criar o movimento, que é, justamente, a função do animador. Esse último não projeta o personagem. Já recebe ele pronto, em diferentes poses e ângulos para, a partir daí, fazê-lo ganhar vida. Eu me encontrei nesse ofício e decidi fazer Cinema de Animação”, conta.

A pernambucana chegou a trabalhar em outros estúdios no estado, até que decidiu expandir os horizontes. Morou na Bélgica, por dois anos, onde aprendeu inglês, e cursou Produção de Cinema, em Londres. Depois desse período, já de volta ao Brasil, percebeu que ainda não era hora de ficar no país. Foi, então, que se candidatou para a Vancouver Film School, localizada no Canadá. Para provar que merecia a bolsa de estudos, Camila produziu uma animação de 1 minuto com um gato de estimação imaginário contando os motivos pelos quais ela deveria ganhar. E deu certo: ela se especializou em animação clássica na instituição.

A animação 2D faz parte da vida de Monart desde 2010. De lá para cá, a profissional colaborou com projetos como Além da lenda (TV Cultura), Angry Birds Space (NASA) e Star Wars Forces of Destiny (Disney XD). Além disso, participou de diversos festivais de cinema de animação ao redor do mundo com os curtas-metragens Dona Zuquinha e FAT. Este último levou o prêmio de melhor animação no WIDLsound Festival/Canadá, melhor filme da semana no The Awardeo Company/Vimeo e Silver Award no festival CLIFF / Canadá.

Para os jovens que querem investir na carreira, Camila destaca que o portfólio é o material mais importante para um animador. Ela acredita que o diploma tem peso, mas a prática profissional é essencial. “A maior dica que eu dou para quem tem interesse na área é estar disponível e ter curiosidade, força de vontade mesmo em aprender. É preciso se jogar para construir um bom portfólio. Nosso mercado tem muita gente que se propõe a ensinar, a ajudar demonstrando diferentes programas. Então, só depende de você”, encoraja.



aeso - barros melo - alunos no mercado - cinema - cinema de animação -

voltar