AESO - Faculdades Integradas Barros Melo




Cartões pré-pagos podem ser alternativa para controlar gastos nas férias


Administração
junho. 18, 2018

Confira as dicas do professor Sandro Prado sobre o assunto

Os cartões pré-pagos usados na função crédito ainda não são muito conhecidos no Brasil, mas o uso está crescendo rapidamente, e há situações em que eles são a melhor alternativa. Utilizados, principalmente, pelo público que tem acesso limitado ao crédito bancário, que quer fugir das anuidades, ou que se preocupa em perder o controle financeiro, os pré-pagos podem ser a opção ideal também para o período de férias de crianças e adultos.

Este é um momento de risco financeiro para muitos brasileiros, que gastam mais do que o planejado e não contam com o fato de que, após o retorno ao trabalho, terão um intervalo de um mês antes de receber novo salário. Além do que, é uma época em que as crianças demandam mais despesas. E nada como organizar custos para evitar futuras dores de cabeça.

De acordo com o economista Sandro Padro, o cartão pré-pago é um ótimo aliado para a educação financeira. “Para pessoas que querem colocar um limite aos seus gastos ao longo do mês ou em viagens, ele é superindicado. O cartão ainda funciona como mesada para os adolescentes, que, ao invés de receberem dinheiro, têm acesso ao objeto”, comenta.

Segundo o economista, as principais vantagens no uso do pré-pago são segurança e comodidade. “Na vida moderna, não está muito conveniente andar com dinheiro em espécie na carteira. Além disso, essa modalidade também permite compras online, o que pode ser muito confortável”, dispara.

A aquisição de cartões pré-pagos é feita de maneira simples e o contratante não precisa comprovar renda ou estar vinculado a nenhuma conta bancária. A solicitação pode ser feita pela internet, nos sites dos emissores, ou numa loja de varejo credenciada. Primeiro, o cliente escolhe uma bandeira que seja mais adequada ao seu perfil de gastos, em seguida contrata o produto e carrega o valor que deseja desembolsar. Também é possível adicionar novas quantias e realizar saques. E tem mais: se o cartão pré-pago for perdido ou roubado, o dinheiro pode ser recuperado.

Contudo, o economista Sandro Padro alerta para alguns detalhes importantes na contratação, principalmente, no que diz respeito as taxas aplicadas. “Os principais serviços como recarga e saque são cobrados pela operadora do cartão. A taxa de aquisição pode ser gratuita, dependendo do valor depositado”, aponta. Ainda assim, segundo ele, os pré-pagos ainda são a melhor opção. “Em alguns casos, a mensalidade para manutenção do cartão é paga. Ainda assim, pode ser , proporcionalmente, mais barata do que a anuidade dos cartões de crédito ou taxas de contas correntes, evitando que o consumidor fique refém desses limites de crédito mais tradicionais”, conclui.

barros melo - Administração -

voltar