AESO - Faculdades Integradas Barros Melo




Gabriela L'Amour (à esquerda) comanda a Chuvisco com mais duas sócias

Gabriela L’Amour fala sobre o mercado criativo e editoras independentes


Design Gráfico
julho. 09, 2018

A designer é idealizadora da Chuvisco

O mercado criativo vem crescendo em Pernambuco e as pessoas estão conhecendo cada vez mais formas de produções independentes e maneiras de divulgar estes trabalhos. Há mais feiras criativas sendo organizadas, nos setores de moda, publicações, etc.
 
Aproveitando essa tendência, e percebendo que os jovens buscam se aventurar nesse cenário, conversamos com a designer e empresária Gabriela L’amor, ex-aluna da AESO-Barros Melo, e idealizadora da editora Chuvisco. Ela conta um pouco sobre a história do negócio e comenta sobre empreendedorismo criativo, além de dar dicas. Confira.
 
AESO: Como você enxerga o mercado criativo local (no Recife e em outras cidades de Pernambuco) comparado a outros estados e fora do Brasil?
 
GL: Acho que ainda estamos no meio de um processo, mas a oferta é maior em grandes polos como Rio de Janeiro e São Paulo. Sendo que nossos trabalhos apresentam a mesma qualidade. Em relação às feiras independentes, é normal existirem em menor quantidade, porque o movimento chegou um pouco mais tarde aqui em Pernambuco. Mas, a cada ano, aumenta também, o que é massa.
 
AESO: As editoras independentes estão se tornando mais conhecidas. Qual o diferencial desse tipo de negócio?
 
GL: Estamos passando por uma mudança nas grandes editoras e na forma de consumir o livro. As independentes apresentam maior liberdade para os autores e ilustradores, lucro mais justo e possibilidade de explorar novos formatos na publicação. 
 
AESO: Como surgiu a Chuvisco? Qual o objetivo?
 
GL: A Chuvisco nasceu de um marasmo criativo meu. Tinha um emprego em um escritório de design e me vi muito travada, já que quando trabalhava só fazia o que os clientes queriam (o que também é importante, por conta da experiência e mercado de trabalho). Eu sentia falta da liberdade criativa e a Chuvisco surgiu como esse escape para mostrar meu trabalho e o de outras pessoas em Pernambuco.
 
AESO: Quais os desafios desse tipo de negócio?
 
GL: É um mercado em expansão. Acho que o maior desafio é a questão do custo da produção, já que trabalhamos com pequenas tiragens. 
 
AESO: Quais as principais formas de divulgar o trabalho criativo para o público?
 
GL: O principal veículo é o Instagram. O apelo visual é muito forte quando se faz uma divulgação legal do produto. Vejo que muitos funcionam dessa forma ou com um site para vendas e, claro, através das feiras de publicação, pois,  o contato com o público é superimportante. 
 
AESO:  A atividade criativa e independente é rentável?
 
GL: Sim, eu conheço algumas editoras, como é o caso da Bebel Books, Ubu Editora, Pipoca Press, entre outras, que se dão super bem. A Chuvisco lucra com as publicações, mas ainda não é o suficiente para trabalharmos apenas com isso. Eu e minhas sócias realizamos outros jobs em paralelo.
 
AESO: Para o designer, que deseja abrir um negócio, é mais importante planejamento ou criatividade?
 
GL: O ideal é conseguir unir planejamento e criatividade. Mas, se for necessário escolher um, acho que planejamento é mais importante para você tirar a ideia do papel. Conheço muita gente com trabalhos incríveis, mas, que, por falta de planejamento, não sabe divulgar, não sabe vender e deixa de realizar trabalhos.
 
 AESO: Como é feito o trabalho de criação e produção da Chuvisco?
 
GL: A Chuvisco é composta por três mulheres: eu (Gabriela L'Amour), Manuela Sobral e Cecília Gallindo. O primeiro passo do trabalho é nos juntarmos para fazer um brainstorming. Jogamos nossas ideias e, quando decidimos um tema, começamos as pesquisas e entrevistas para definir o conteúdo. Depois, vamos para a parte prática de estruturar a publicação, escolher o tipo de papel, até fazermos o digital e o manual para realizar uma pesquisa de custo. E quando, enfim, temos o produto final, partimos para a divulgação nos canais de venda.
 
AESO:  E sobre a história da editora?
 
GL: A Chuvisco existe desde 2015. Para facilitar a rotina, temos algumas funções definidas. Eu, por exemplo, fico responsável pelo Instagram e Facebook, enquanto Manuela cuida do financeiro. Mas, na parte da produção, tem o dedo de todo mundo. Acho que a comunicação entre as criadoras é muito importante, pois, tudo passa pela aprovação de todas. Ao longo dessa trajetória, já participamos da Feira Cria em João Pessoa e aqui no Recife, Mercadinho Criativo  da AESO-Barros Melo, feirinhas na Trocando em Miúdos (Juntas Somos Mais Fortes), feiras do Dia do Designer, etc.
 
Para conhecer mais sobre o trabalho da Chuvisco, acompanhe a editora nas redes sociais: @chuvisco.editora

aeso - barros melo -

voltar