AESO - Faculdades Integradas Barros Melo

Paulo André fala do APR


Institucional
abril. 08, 2005

O produtor do Abril Pro Rock (APR), Paulo André Pires, esteve no Estúdio de Rádio da Aeso na última quarta-feira para uma entrevista. Durante o programa, o entrevistado falou sobre vários aspectos do festival, que acontece há 13 anos, e destacou a presença da banda inglesa Placebo, que vem pela primeira vez ao Brasil para uma turnê. O produtor também falou sobre o festival Claro que é Rock, que acontecerá na sexta feira, primeira noite do evento. Para ele, o mais interessante é que o concurso abre oportunidade para bandas iniciantes se apresentarem no palco mesmo que ainda não se considerem capazes de se apresentar em um festival. “Num concurso, elas se sentem mais livres”. Paulo André falou sobre o surgimento do APR, dos principais grupos que passaram pelo festival ainda no início de carreira, como Skank e Los Hermanos, e ressaltou a importância que o APR e o Movimento Mangue Beat tiveram e ainda têm para a cultura. Segundo o produtor, os primeiros festivais tinham uma presença maciça de bandas locais. A partir do segundo ano começaram a haver participações de grupos nacionais. Só com o passar dos anos é que foi havendo uma certa preocupação da participação de bandas internacionais. Para montar a seleção de bandas, Paulo André faz questão de comparecer a shows e festivais – de pequeno, grande ou médio porte - que acontecem em todo o Brasil. Para ele, o Abril Pro Rock ajudou a projetar a imagem de Pernambuco no cenário nacional. O público passa a dar resposta satisfatória ao vir de outros estados e até de outros países para prestigiar o festival. Ele contou que o público se mantém fiel e que o maior número registrado até hoje foi o de 2001, com cerca de 12 mil pessoas. Promover a consolidação de bandas da nova geração é a principal função do APR, tendo em vista o mercado de pirataria que se formou com o passar dos anos. O festival tenta acelerar o processo de divulgação dessas bandas, mas quem decide o que quer ver nas três noites é o público. Por Danúbia Julião Ouça a matéria:

voltar