AESO - Faculdades Integradas Barros Melo

VOLTA ÀS AULAS


Institucional
agosto. 01, 2005

As peças de artesanato que estão espalhadas pelas Faculdades Integradas Barros Melo são apenas uma parte das mudanças que aconteceram durante as férias. A reforma realizada em julho serviu, na verdade, para transferir quase toda a área administrativa para o terceiro andar do prédio. Os alunos, no entanto, não vão precisar se deslocar para ter acesso aos serviços porque foram instalados guichês de atendimento no térreo. A sala onde antes funcionava a Tesouraria agora é o setor de protocolos, ou seja, os guichês da Tesouraria e Secretaria para atendimento aos alunos. Todo o relacionamento desses setores com o aluno acontecerá nesta sala, desde a entrada até a finalização do processo, passando pela entrega e recebimento de documentos. Outra mudança importante foi a instalação da Central de Estágios no local onde funcionava a sala dos professores. A Janela da Cidadania também ganha seu espaço no térreo, numa nova área que une o antigo departamento pessoal e o setor de eventos. Nesse mesmo local passa a funcionar, em setembro, o mais novo projeto da Barros Melo, o Centro de Relacionamento Internacional, que irá orientar os alunos interessados em cursos de idiomas, estágios e pós-graduações. As salas de Patrimônio e Diplomas agora são, respectivamente, o Estúdio de Animação e o Núcleo de Animação. E a secretaria cedeu lugar para a nova sala dos professores. O corredor que ligava Secretaria à Tesouraria transformou-se na sede da Empresa Júnior de Administração. No terceiro andar agora funcionam, além da diretoria, a Secretaria, a Tesouraria, o Departamento de Pessoal, o Setor de Produção (antes, Núcleo de Eventos), a Gerência financeira e o Setor de Diplomas. ARTE – Além das mudanças físicas, a Faculdade inicia as aulas exibindo uma série de peças de artesanato junto com outras de arte mais convencional. No térreo, logo no pátio central, onde está a fonte, estão instalados o “Cata-Vento”, boneco de madeira que tem facões de madeira em cada braço capazes de fazê-lo girar se a ventania estiver mais forte. A obra foi feita pelo artista Francisco Rosa, do Paraná. Também na murada da fonte está o “Casal de velhos”, feito do mesmo material por Gésio, de Minas Gerais. Na sala de estar dos alunos, onde estavam apenas grandes sofás, foram instaladas 15 Máscaras e 12 cabeças de papel machê. Uma delas – uma cabeça verde com chapéu vermelho – foi feita por Julião das Máscaras, autor de alguns dos mais famosos bonecos de Olinda, que já faleceu. As demais máscaras foram feitas por Julião Filho, que dá continuidade à obra do pai. Perto da escada, nessa mesma sala, está os “Girassóis” de madeira, feitos por Dido, também de Olinda. Na Sala dos Professores estão outras máscaras de Julião Filho e os “Pernalongas”, bonecos compridos de madeira de Heleno de Tracunhaém inspirados num grupo de forró. No outro extremo, na entrada do elevador, está uma tradicional carranca de madeira, feita por Inácio do Juazeiro. No primeiro andar, próximo ao Cineteatro, está o “Anjo Buchudo”, feito em cerâmica por Joaquim (Tracunhaém). Nas escadas, entre um andar e outro, foram afixados máscaras (do térreo para o 1º andar) e bonecas de buriti (do 1º para o 2º). Espaço mais novo da Barros Melo, o terceiro andar ganhou peças novas na sua decoração e absorveu algumas que estavam nos outros andares. Entre as novas estão o “Pau-de sebo”, escultura de madeira feita por Louco Filho (Minas); “Teto de Oca”, uma peça indígena de madeira pintada do Alto do Xingu de autor desconhecido, com 0,40 de diâmetro; e a “Grade com 6 cabeças”, peça decorativa confeccionada em ferro e cerâmica por José Lopes (Glória de Goitá - PE). Complementando, estão diversas esculturas de madeira e quadros assinados por Eudes Mota, como "Movimento de contêineres", óleo sobre tela com 1,50 x 2m; "Código de Barras - Círculo", em acrílica sobre tela e folha de prata, com 1,0 x 1,0m; "Quadro Vazado", obra com 1,20 x 1,20 m feita em óleo e pigmento cobre sobre tela, com madeira superposta; e peças de madeira de demolição (Peroba), uma com 2,00 x 0,14 m e outra com 1,90 x 0,7 m. Na sala de reunião da diretoria foi colocado o painel “Adão e Eva”, de 2,10 x 2,60m, uma releitura de Eckout criada por Ploeg, artista plástico holandês, produzido em acrílica sobre tela. Pelo terceiro andar também estão distribuídos xilogravuras de J. Borges e suas matrizes e patos selvagens feitos em madeira por Dido de Olinda. Entre as peças transferidas de outros andares estão o busto de bronze Dr. Barros Melo, assinado por Abelardo da Hora. A nova sala da diretoria continua com o painel “Recife”, de Romero Britto, feito a lápis sobre tela de 1,50 x 1,00. E ainda o quadro em óleo sobre tela de Zé Cláudio que retrata o antigo prédio da Faculdade de Direito de Olinda (Fado), com 1,56 x 2,00. Por Roberta Rêgo

voltar