De Pernambuco, Duo Sensível apresenta-se no 16º Festival et Rencontres de Choro, em Paris



As apresentações acontecerão entre os dias 27 e 29 de março, no Club du Choro (Maison du Brésil)

O Duo Sensível, projeto de música instrumental tocado pelos músicos pernambucanos João Paulo Albert e Marco César (professor da Faculdade Aeso Barros Melo), é uma das atrações do 16º Festival et Rencontres de Choro de Paris. O evento acontece de 27 a 29 de março, no Club du Choro, e recebe músicos profissionais e amadores do mundo todo. Neste ano, o tema é em homenagem ao choro pernambucano. Em 2019, durante o IV Seminário Euro-Brasileiro de Choro, que aconteceu entre Olinda e Recife, sendo o Centro Cultural Barros Melo (Cidade Alta) uma das locações, os franceses ficaram encantados com o ritmo apresentado pelos músicos locais e decidiram expandi-lo para outros horizontes.

Durante os três dias do festival, em Paris, a programação contempla reuniões, rodas de conversas, aulas de instrumentos e concertos. O Duo Sensível participa tanto de apresentações, como comanda a classe de choro e frevo, ensinando um pouco dos ritmos para os participantes. Para o professor Marco Cézar, o convite é o reconhecimento de um trabalho árduo. “Fazemos um ensaio instrumental intenso, inclusive para a composição do primeiro disco. Participar de um evento como esse é uma forma de apresentar o nosso material e levar um pouco da cultura local, da linguagem do frevo e do choro que fazemos aqui”, comenta.

João Paulo comemora a experiência valiosa de viajar com o mestre e parceiro. “Também estou muito feliz de mostrar a nossa música em outro país. Além das nossas autorais, vamos levar a melodia de outros artistas para Paris”, diz ele, considerado um dos mais importantes cavaquinhistas do Brasil. Os dois embarcam no próximo dia 23 de março para Paris.

SOBRE O DUO SENSÍVEL
O projeto é formado pelos dois músicos, Marco César e João Paulo, que tocam violão de sete cordas e cavaquinho, respectivamente. Em apresentações para um público intimista, eles mostram clássicos da música instrumental e composições próprias. Os músicos já tocaram várias vezes nos jardins do Museu do Estado de Pernambuco (MEPE), dentro do projeto do Ouvindo e Fazendo Música no MEPE.

O Duo Sensível surgiu a partir de encontros entre mestre e aprendiz, quando João ia estudar interpretação de solos de cavaquinhos e passou a ter a companhia de Marco com notas de violão. Os arranjos deram certo e eles perceberam que dali poderia surgir algo bom, irreverente.

voltar
bool(false) NULL

Nós usamos cookies

Eles são usados para aprimorar a sua experiência. Ao fechar este banner ou continuar na página, você concorda com o uso de cookeis. Saber mais.
Aceitar