Alerta: Cresce número golpes virtuais.


Direito
fevereiro. 17, 2022

O Brasil foi o 2º maior alvo mundial de ciberataques, em 2021. Saiba como se proteger

Com a chegada das redes sociais e a virtualização de muitos aspectos da vida para o meio digital, como transações comerciais, econômicas, o fluxo de dados pessoais na rede, e a comunicação em si, os golpes virtuais têm se tornando cada vez mais comum, principalmente, em razão do volume de rastros digitais e dados que são deixados no universo digital.

Em 2021, o laboratório especializado em cibersegurança da PSafe constatou que houve 150 milhões de vítimas de golpes virtuais no país. Já a companhia de soluções digitais e de cibersegurança apontou o Brasil como o  2º maior alvo mundial de ciberataques.

Amanda Nunes é professora de Direito e Tecnologia na UNIAESO e analisa que esse golpe está sendo aplicado com mais frequência pelas baixas quantidade de condenações para esse tipo de crime. “Ocorre que, apesar dos números alarmantes e do enrijecimento das penas voltadas para os crimes cibernéticos como fraude, furto e estelionato, praticados com o uso de dispositivos eletrônicos, esse tipo de investida acaba sendo encorajada, em razão da impunidade”, aponta.


Ainda segundo Amanda, caso a vítima perceba que caiu em um golpe, o primeiro passo é fazer o boletim de ocorrência, também é necessário o bloqueio de cartões, carteiras virtuais ou quaisquer serviços financeiros que, eventualmente, tenham sido expostos em razão da ação criminosa. “Apesar do baixo número de condenações para os crimes virtuais, é indispensável a comunicação às autoridades, para que a vítima se resguarde das ações que o criminoso venha a fazer em seu nome, e, em segundo lugar, o aumento no número de ocorrências gerará uma inevitável demanda para o poder público alinhar estratégias de repressão”, pontua. 

Os usuários que desejam se proteger dessas investidas devem estar atentos a alguns pontos importantes: “Nunca adotar a mesma senha em diferentes serviços.  Priorizar a utilização de senhas com caracteres especiais e aderir a autenticação em dois fatores ou em duas etapas. Em relação ao Whatsapp, meio onde é crescente o número de golpes, restrinja a visualização de foto apenas para contatos”, alerta.

Ainda segundo a professora, os usuários nunca devem confirmar dados ou enviar documentos por telefone ou mensagens, mas se esse tipo de comunicação ocorrer, o cliente deve buscar informações diretamente com o prestador do produto ou serviço.

direito -

voltar

Nós usamos cookies

Eles são usados para aprimorar a sua experiência. Ao fechar este banner ou continuar na página, você concorda com o uso de cookies.  Política de Cookies   Política de Privacidade.
Aceitar